Aliados Brasil Oficial - Unidos Pelo Brasil!

Notícias Saúde

Segundo informações do boletim, Bruno Graf morreu devido à reação da vacina da AstraZeneca

Documento é da Diretoria de Vigilância Epidemiológica, vinculada à Superintendência de Vigilância em Saúde de Santa Catarina

Segundo informações do boletim, Bruno Graf morreu devido à reação da vacina da AstraZeneca
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

O advogado Bruno Graf, de 28 anos, morreu em razão de efeitos colaterais provocados pela vacina anticoronavírus da AstraZeneca. Ele sofreu um Acidente Vascular Cerebral. Veio a óbito, foi feito o exame de sangue. Este exame foi encaminhado para a Itália. E na Europa, houve a constatação desse problema. Com o resultado já no Brasil, o prontuário médico do paciente foi atestado o possível resultado do óbito em relação com a vacina tomada. Tecnicamente o óbito foi em decorrência da vacinação. Foi comprovado pelo Ministério da Saúde, pela Anvisa e Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina. E o que veio informar o boletim epidemiológico da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DIVE), vinculada à Superintendência de Vigilância em Saúde de Santa Catarina, pertencente à Secretaria Estadual da Saúde. Divulgado na quinta-feira 10, o documento explica que o caso passou por investigação de equipes de imunização estadual, regional e municipal.   

“Trata-se de um homem de 28 anos, residente em Blumenau, que iniciou sintomas (calafrios, sensação febril e cefaleia) no dia 23 de agosto, evoluindo a óbito em 26 de agosto, sendo este desfecho desencadeado por um quadro de trombose de sistema nervoso central com plaquetopenia associada”, informa o documento, ao mencionar também a morte de uma mulher de 27 anos, com reações semelhantes às de Bruno, após tomar a mesma injeção.

Além dele, dois óbitos causados por reações adversas à vacina já foram registrado no Estado no período de janeiro a 30 de setembro após a aplicação de 8.790.520 doses de vacinas, , foram notificados 10.251 casos suspeitos de EAPV em todo o Estado, isso contando os casos registrados e notificados, não levando em consideração as sub-notificações. 

“Ambos os óbitos foram temporalmente associados à vacina da AstraZeneca, sendo esses dois casos confirmados tendo seus desfechos com relação à Síndrome de Trombose com Trombocitopenia (STT)”, salienta o órgão. “A STT é definida pela presença de trombose/tromboembolismo, geralmente em locais incomuns, como o seio venoso cerebral ou as veias esplâncnicas com trombocitopenia acentuada após a vacinação com uma vacina de vetor de adenovírus não replicante contra a covid-19.”

De acordo com o advogado que atua em defesa dos familiares de Bruno de 28 anos, Eduardo Bastos Moreira Lima, para obter a constatação da causa da morte foram realizados diversos protocolos. “Solicitamos informações à Secretaria Municipal de Saúde de Blumenau, à Secretaria Estadual de Saúde.

A Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina (SES) lamentou os óbitos e afirmou que segue acompanhando os Eventos Adversos Pós-Vacinais das vacinas Covid-19 administradas em seu território, em especial os Eventos Adversos Graves.

De a cordo com informações da assessoria da DIVE quee confirmou as mortes citadas no boletim.

A DIVE ressaltou, porém, que os dois casos que tiveram relação causal com a vacina representam uma taxa de incidência de 0,05 casos por 100 mil doses aplicadas. “Estes EAPVs (Eventos Adversos Pós-Vacinação) são descritos na literatura médica como eventos raros e associados a vacinas de plataforma de vetor viral, das quais as vacinas dos laboratórios AstraZeneca e Janssen são as únicas distribuídas no Brasil pelo Programa Nacional de Imunização do Ministério da Saúde”, concluiu a DIVE.

A SES solicita atenção de todos para a ocorrência de sinais e sintomas atípicos como dor de cabeça persistente, dor abdominal, dor no peito, náuseas, vômitos, edema em membros inferiores, falta de ar e palpitações, num período de até 4 semanas após a vacinação. Caso apresente esses ou outros sintomas, procure um serviço de saúde para atendimento

Imagens do documento

bruno graf

bruno graf

Exames

 Arlene Ferrari Graf,  mãe de Bruno, enviou exames feitos no exterior que associam a morte do jovem à vacina:

bruno graf

bruno graf

FONTE/CRÉDITOS: Revista Oeste/ Aliados Brasil Oficial
Comentários:

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )