Aliados Brasil Notícias

MENU

Notícias / Ciência & Tecnologia

Satélite da Nasa fotografa três furacões “alinhados”

Furacões foram avistados entre o noroeste da África e o Golfo do México, região apelidada de beco do furacão

Satélite da Nasa fotografa três furacões “alinhados”
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

A temporada de furacões no Oceano Atlântico costuma ser movimentada. Mas uma imagem de satélite da NASA captou um momento bastante raro. Três fenômenos praticamente alinhados antes do impacto com o solo dos Estados Unidos e do México.

Furacões formaram linha quase perfeita

  • A foto foi tirada em 2017 e mostra os furacões Katia, Irma e Jose formando uma linha quase perfeita.
  • Os fenômenos foram detectados pelo satélite meteorológico Suomi NPP, que é coadministrado pela NASA e pela Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos (NOAA).
  • O mais interessante é que cada uma destas tempestades estavam viajando em uma direção diferente.
  • Apenas um dia após a imagem ser captada, o furacão Katia atingiu o território mexicano.
  • Menos de 24 horas depois, foi a vez do Irma tocar o solo da Flórida.
  • Enquanto isso, o José acabou se dissipando na costa da Nova Inglaterra em 22 de setembro.
Da esquerda para a direita: furacões Katia, Irma e Jose (Imagem: NASA Earth Observatory/Suomi NPP)

Aumento da temperatura dos oceanos influencia na formação dos fenômenos

Cientistas da NASA explicam que a maioria dos furacões no Atlântico se forma na mesma região: uma extensão de água entre o noroeste da África e o Golfo do México, apelidada de beco do furacão. No entanto, é bastante raro ver os fenômenos tão próximos.

O furacão Irma foi o mais destrutivo das três tempestades. Ele atingiu a categoria 5 e provocou ondas de até 2,5 metros de altura, além de muita chuva. No total, 34 pessoas morreram em função dos estragos provocados pelo vento, que atingiu uma velocidade máxima de 210 km/h.

Leia Também:

Visão do espaço de um furacão
Visão do espaço de um furacão (Imagem: Triff/Shutterstock)

Segundo os pesquisadores, os três furacões próximos também podem ser resultado das mudanças climáticas. O aumento da temperatura dos oceanos está tornando estes fenômenos mais comuns e potencialmente destrutivos.

 

Há, inclusive, um alerta para a temporada de furacões deste ano. A previsão é que até 25 tempestades sejam registradas. A primeira, o Beryl, já causou mortes e estragos no Caribe. Este foi o furacão de categoria 5 que mais cedo se formou no Oceano Atlântico.

Fonte/Créditos: Olhar Digital

Créditos (Imagem de capa): Imagem: BEST-BACKGROUNDS/Shutterstock

Comentários:

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )