Aliados Brasil Oficial - Unidos Pelo Brasil!

Notícias Internacional

Quase 10 MILHÕES de bebês abortados na Inglaterra, País de Gales e Escócia desde a aprovação da Lei do Aborto em 1968

Mais de 1 em cada 4 (25,2%) gestações na Inglaterra e no País de Gales agora terminam em aborto, de acordo com as estatísticas recentes do governO

Quase 10 MILHÕES de bebês abortados na Inglaterra, País de Gales e Escócia desde a aprovação da Lei do Aborto em 1968
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Desde o dia 27 de abril de 1968, impressionantes 9.900.961* bebês não nascidos perderam a vida para o aborto em toda a Inglaterra, País de Gales e Escócia – em 2020, mais de um bebê foi perdido por aborto a cada dois minutos e meio; 25 vidas foram encerradas a cada hora.

Mais de 1 em cada 4 (25,2%) gestações na Inglaterra e no País de Gales agora terminam em aborto, de acordo com as  estatísticas mais recentes do governo .

O número de abortos na Inglaterra e no País de Gales atingiu um  recorde,  com 210.860 em 2020, enquanto o número de abortos realizados na Escócia foi o segundo maior já registrado, com 13.815.

Esse aumento significativo nos abortos acompanhou os governos que introduziram uma medida temporária em março de 2020, permitindo abortos caseiros 'faça você mesmo' na Inglaterra, País de Gales e Escócia.

As estatísticas de aborto  divulgadas pelo Departamento de Saúde e Assistência Social mostram que 209.917 abortos foram realizados para residentes ingleses e galeses em 2020. 

São 2.533 a mais do que em 2019, que era até agora o número mais alto já registrado.

*Este valor é uma projeção para Inglaterra, País de Gales e Escócia até a meia-noite de 27/4/22 e foi calculado com base nas seguintes premissas:

  • O número de abortos por dia na Inglaterra e no País de Gales permanecerá o mesmo em 2022 e 2021 como em 2020.
  • O número de abortos por dia na Escócia permanecerá o mesmo em 2022 e 2021 como em 2020.
  • A taxa de abortos ao longo do ano é uniformemente distribuída.

Observe que o Right to Life UK não incluiu dados de abortos ocorridos na Irlanda do Norte desde 2020 porque não ficou claro em que dia os abortos começaram a ser realizados na Irlanda do Norte e, portanto, não é confiável modelar uma projeção para o resto do ano usando isso.

Uma indústria insegura

O aumento no número de abortos coincidiu com um aumento no número de abusos de segurança e outros escândalos significativos com provedores de aborto do Reino Unido, colocando as mulheres em risco.

Comentários:

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )