Aliados Brasil Oficial - Unidos Pelo Brasil!

Notícias COVID-19

Homem de 28 anos morre de trombose cerebral 7 dias após 3ª dose da vacina contra covid-19

O jovem se preparava para ingressar na Polícia Federal. Ele deixou esposa e filho de três meses

Homem de 28 anos morre de trombose cerebral 7 dias após 3ª dose da vacina contra covid-19
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Entre no nosso canal no WhatsApp clicando neste link.

Entre em nosso canal no Telegram, clique neste link.

Paulo Henrique Dornelas Costa, de 28 anos, casado e pai de um menino de apenas três meses, morreu na última quarta-feira (15), de trombose venosa cerebral, sete dias após tomar a terceira dose da vacina contra a covid-19. No atestado de óbito, o registro do que causou a doença: "Púrpura trombocitopênica induzida por vacina covid-19".

O engenheiro ambiental, que sonhava em ser delegado da Polícia Federal, sofreu uma hemorragia cerebral e não resistiu a uma cirurgia de emergência. Mineiro, ele estava em Brasília, na Academia Nacional da PF.

O caso foi relatado pela esposa de Henrique, a estudante de psicologia Thaysa Costa, no seu Instagram. Ela conta que Paulo Henrique foi ao hospital por sentir fortes dores na cabeça e na nuca. Na ocasião, os médicos o medicaram com morfina e o mandaram de volta para casa, sem buscar um diagnóstico. Sem o alívio das dores, no entanto, o homem voltou ao hospital e, depois de vomitar e desmaiar, foi internado.

Após muita insistência da esposa, que informou à equipe médica diversas vezes sobre a vacina, foram realizados exames de tomografia e ressonância, que constataram uma trombose cerebral.

“Ele foi diagnosticado com trombose cerebral. Os médicos diziam 'não sei como está acontecendo isso, ele é tão jovem e saudável. Não podemos tirar esse coágulo porque as plaquetas dele estão baixas e pode causar hemorragia'; 'vamos esperar que milagrosamente as plaquetas subam', mesmo sabendo que essa condição não existiria”, escreveu Thaysa.

Ela diz que, ao questionar se o quadro clínico do paciente poderia ser uma reação da vacina, foi comunicada pelos médicos que tal informação não poderia ser confirmada, pois para isso precisaria ser feito um exame específico.

Segundo Thaysa, os médicos demoraram a agir por não terem certeza se o quadro tinha sido causado por uma "doença no sangue" ou pela vacina. Foi só depois que se iniciou uma hemorragia cerebral no paciente que os médicos o encaminharam para uma cirurgia de emergência, não sendo mais possível salvá-lo. 

"Deixaram meu marido morrer. Depois da morte dele, fazem o protocolo e a causa da morte: [púrpura trombocitopênica induzida por vacina covid-19]", escreveu a esposa. 'Estão no matando gradualmente, primeiro idosos, depois jovens, crianças e bebês", concluiu.

A mulher publicou o relato na sua conta do Instagram e pediu para que fosse compartilhado para alertar as pessoas sobre os riscos da vacinação contra a covid-19.

Em uma atualização nos stories, a estudante agradeceu à PF pela "atenção e cuidados prestados desde o início dos sintomas" e esclareceu que a instituição não exigia a terceira dose da vacina, como estava sendo especulado quando o caso veio à tona.

 

Leia o relato completo abaixo:

 

Leia também:

Nova análise de 845 casos de leucemia relacionados a Vacina COVID

“Vacinas” covid são inúteis e prejudiciais admite Revista Science

Novos estudos e Documentos Confidenciais da Pfizer provam que as vacinas COVID causam INFERTILIDADE

ATENÇÃO: Vacinar crianças contra covid foi um erro, admite conselho nacional de saúde dinamarquês

As vacinas de mRNA Covid não oferecem essencialmente nenhuma defesa contra o Omicron meses após dose de reforço

 

 

FONTE/CRÉDITOS: BSM
Comentários:

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )