Aliados Brasil Oficial - Unidos Pelo Brasil!

Notícias Governo Federal

Governo Federal, em 2021, doou mais de 60 mil toneladas de alimentos a entidades assistenciais

É o Governo, incentivando a Agricultura Familiar, compra os alimentos produzidos por produtores e os doa para instituições assistenciais

Governo Federal, em 2021, doou mais de 60 mil toneladas de alimentos a entidades assistenciais
Raul Vasconcelos/ Min. Cidadania
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Por meio do Programa Alimenta Brasil, o Governo Federal adquiriu alimentos de mais de 43 mil pequenos produtores e doou a produção a mais de 8,9 mil entidades assistenciais, em apenas 5 meses de projeto. O Programa foi responsável pela doação de 60,5 mil toneladas de alimentos apenas em 2021. A informação foi divulgada nesta segunda-feira (18) pelo Ministério da Cidadania, que destacou os limites financeiros estabelecidos para 2022.

Maria Santos, 66 anos, vive em Itaju do Colônia (BA) e vende suas
hortaliças ao Alimenta Brasil. Foto: Raul Vasconcelos/ Min. Cidadania

 

O Governo Federal, incentivando a Agricultura Familiar com o Programa Alimenta Brasil, compra os alimentos produzidos por pequenos produtores e os doa para instituições assistenciais como creches, escolas públicas e restaurantes populares.

Neste ano, o teto pago pelo Governo Federal para cada agricultor familiar nas modalidades compra com doação simultânea e compra direta saltou de R$ 6,5 mil e R$ 8 mil para R$ 12 mil por ano. Já o incentivo à produção e ao consumo de leite e a compra institucional passou de R$ 20 mil para R$ 30 mil. Para cooperativas, o limite anual aumentou nas modalidades Apoio à Formação de Estoque, de R$ 1,5 milhão para R$ 2 milhões, e Compra Direta (de R$ 500 mil para R$ 2 milhões). Um aumento de 400%.

“Quando a gente dá a mão para a agricultura familiar, estimula o homem do campo, o consumo local de alimentos e, ao mesmo tempo, ajuda quem tem fome”, exaltou o ministro da Cidadania, Ronaldo Bento, ao enfatizar o papel do programa para as comunidades locais em situação de vulnerabilidade.

Os pequenos produtores englobam agricultores familiares, extrativistas, pescadores artesanais, tendo, inclusive, povos indígenas dentre esses grupos.

“O produtor se empolga quando faz a primeira entrega. Fica contente porque entregou o produto, emitiu nota fiscal e recebeu o dinheiro. Depois da primeira entrega, começa a aumentar a produtividade e vai além. Começa a não depender só do governo”, indica a técnica em agropecuária do município baiano, Iasmine Ribeiro.

No caso da produção de Maria Santos, já são quatro anos produzindo coentro, cebolinha, couve, alface e outras hortaliças.

“Antes do Alimenta Brasil, eu colocava os meninos para vender as verduras na rua, mas tinha muito prejuízo. Eles saíam e vendiam uma ou duas e voltavam com tudo murcho”, disse Maria Santos. “O Alimenta Brasil ajuda muito, porque quando a gente vende, entrega tudo de uma vez e recebe o dinheiro na hora”, acrescentou.

É o Governo Federal garantindo comida na mesa do povo, incentivando o pequeno produtor rural e fazendo a economia do campo girar. Um governo que cuida da população e do País!

Os agricultores interessados em vender as plantações para o programa devem procurar a prefeitura ou o órgão local de assistência técnica para verificar se o município tem o Termo de Adesão formalizado com o Ministério da Cidadania e quando será feita a seleção dos agricultores.

FONTE/CRÉDITOS: Ministério da Cidadania/ Terra Brasil Notícias
Comentários:

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )