Aliados Brasil Oficial - Unidos Pelo Brasil!

MENU
Logo
Quinta, 29 de julho de 2021
Publicidade
Publicidade

Policial

Ex-presidente da África do Sul é preso por corrupção

Jacob Zuma é acusado de chefiar um esquema que desviou 'dezenas de bilhões de dólares' dos cofres públicos

231
Publicidade
Publicidade
Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Jacob Zuma, ex-presidente da África do Sul entre 2009 e 2018, se entregou à polícia e começou a cumprir sua pena de 15 meses de prisão. Zuma foi afastado do poder acusado de corrupção em larga escala dentro do Partido Nacional do Congresso Africano.

Jacob Zuma tinha um status de herói nacional por ter lutado contra a política de apartheid ao lado de Nelson Mandela. Mas, segundo o New York Times, já era acusado de corrupção antes mesmo de ser eleito. Segundo o atual presidente, Cyril Ramaphosa, no mandato de Zuma “dezenas de bilhões de dólares” foram desviados dos cofres públicos. Além disso, seu governo deixou a economia estagnada e altos índices de desemprego.

Assim como Lula, Zuma reuniu apoiadores para evitar ser preso | Foto: Divulgação/GCIS
Assim como Lula, Zuma reuniu apoiadores para evitar ser preso | Foto: Divulgação/GCIS

 

Em uma situação parecida com a acontecida com o ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva em 2018, Jacob Zuma reuniu seus admiradores no domingo na cidade de Nklanda para tentar resistir à prisão. Em seu comício, disse que exigia “a terra que foi roubada há 573 anos” e que se “recusava a ser governado por espiões do apartheid”.

As autoridades deram até a meia-noite de quarta-feira, dia 7, para que Zuma se entregasse, o que ele fez quarenta minutos antes do prazo. Uma longa caravana de carros policiais o escoltou até o centro penitenciário de Escourt. “Estamos lidando com um infrator da lei repetitivo e recalcitrante na forma do Sr. Zuma”, declarou um dos responsáveis pela pena aplicada, o jurista Tembeka Ngcukaitobi.

O ministro da Justiça sul-africano, Ronald Lamola, declarou ao jornal britânico The Guardian que Jacob Zuma pode ser solto em apenas quatro meses, alegando problemas de saúde.

Fonte/Créditos: Revista Oeste

Créditos (Imagem de capa): reprodução

Comentários: