Aliados Brasil Oficial - Unidos Pelo Brasil!

Notícias COVID-19

DENÚNCIA GRAVE: Projeto Veritas denuncia efeitos adversos de vacinas não reportados nos EUA

Funcionário do Hospital de Phoenix afirma que efeitos adversos da vacina COVID-19 não estão sendo relatados

DENÚNCIA GRAVE: Projeto Veritas denuncia efeitos adversos de vacinas não reportados nos EUA
reprodução
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

O Projeto Veritas lançou nesta semana uma nova série investigativa tratando de assuntos ligados a vacinas contra Covid-19. Uma servidora do governo federal americano relatou ao Projeto Veritas a sua perspectiva como profissional de saúde sobre a eficácia e os efeitos adversos da vacina contra o Covid-19.

A primeira parte do projeto foi uma entrevista com Jodi O’Malley, enfermeira no Indian Medical Center, em Phoenix.
Na entrevista, a enfermeira conta detalhes dos bastidores de um centro médico e mostra conversas com funcionários sobre as preocupações em torno dos efeitos adversos das vacinas contra Covid-19.

“O problema aqui é que eles não estão fazendo os estudos. Pessoas que tiveram [COVID] e as pessoas que foram vacinadas – eles não estão fazendo nenhum teste de anticorpos”, disse uma médica que aparece nas gravações.

“Todo mundo fica quieto com isso. Por que?”, questiona a médica.

Na gravação divulgada pelo Projeto Veritas, a médica Maria Gonzales diz que o Governo não tem feito notificações sobre os casos de miocardite em vacinados. Segundo Maria, o governo está escondendo tudo debaixo do tapete.

O’Malley afirmou que já viu dezenas de pessoas com reações adversas e questiona a confiabilidade da vacina, uma vez que dados importantes não estão sendo coletados.

O'Malley disse a James O'Keefe, chefe do Projeto Veritas: “Isso é o mal no mais alto nível. Você tem o FDA, você tem o CDC, que deveriam estar nos protegendo, mas eles estão sob o governo, e tudo o que fizemos até agora não é científico. ”

A enfermeira afirmou que sua motivação para denunciar as ações do governo em relação às vacinas foi o falecimento de uma colega de trabalho que foi coagida a se vacinar, mesmo sendo contra sua vontade e crença religiosa.

O’Keefe, fundador do Projeto Veritas, perguntou à enfermeira se ela estava com medo de retaliações e Jodi respondeu: “É minha carreira, sabe? É assim que ajudo as pessoas. Eu não diria necessariamente que estou com medo porque minha fé está em Deus e não no homem. Você tem o FDA, você tem o CDC, que deveriam estar nos protegendo, mas eles estão sob o governo e tudo o que fizemos até agora não é científico”.

“No final do dia, é sobre sua saúde e você pode nunca ter isso de volta, e sobre sua liberdade, e sobre viver em uma sociedade pacífica”, a enfermeira concluiu dizendo se tratar de algo por que está disposta a lutar.

Em um clipe, O'Malley é ouvida discutindo as circunstâncias de um jovem que provavelmente teve insuficiência cardíaca congestiva com a vacina COVID-19 com a Dra. Maria Gonzales, uma médica de emergência contratada pelo Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos. Gonzales disse que não será relatado, junto com reações adversas de outros pacientes, "porque eles querem enfiá-lo sob o tapete".

O FDA exige que os profissionais de saúde relatem os efeitos adversos da vacina COVID-19 ao VAERS, o Sistema de Notificação de Eventos Adversos de Vacinas.

O'Malley disse a O'Keefe que viu “dezenas de pessoas apresentarem reações adversas”. No entanto, ela disse que a equipe do hospital nunca recebeu uma ordem para denunciá-los. Ela disse que isso é estranho porque o COVID-19 está atualmente no estágio 3 de testes clínicos, onde geralmente a coleta de dados por todos é crucial.

O'Malley se registrou discutindo com Gonzales como parece “suspeito” que em 18 meses não tenha havido pesquisas sobre reações adversas à vacina COVID-19. Gonzales respondeu: “Provavelmente não foi feito porque o governo não quer mostrar que a droga da vacina está cheia de merda”.

O'Malley disse que viu pacientes como um menino de 15 anos, saudável e de peso normal, que desenvolveu coágulos sanguíneos (trombose) logo após ser vacinado. O'Malley gravou uma enfermeira, cuja identidade está obscurecida, dizendo: “há tanto que quero explodir” para expor o encobrimento. Ele sugeriu entrar em contato com o Projeto Veritas.

O'Malley começou a falar sobre uma colega que não queria tomar a vacina COVID-19 devido às suas crenças religiosas. Depois que a colega foi solicitada a obtê-lo pelo DHHS, ela morreu de reações adversas em 28 de agosto. O'Malley disse a O'Keefe: “Ninguém, ninguém deveria ter que decidir entre seu sustento, ser parte da 'equipe' no hospital, ou tomando a vacina. ”

Como o hospital é uma instalação federal, a Sen. Kelly Townsend (R-Mesa) rapidamente tomou medidas em resposta ao vídeo e convocou membros da delegação do Congresso do Arizona para investigar. Ela está criando a Coalizão de Saúde e Segurança do Arizona para “ajudar a orientar os membros da família em busca de recursos para os maus-tratos que estão sofrendo em várias partes do estado”. A organização ajudará as pessoas a encontrar as leis relativas a maus-tratos e negligência, e as colocará em contato com o advogado para pedir indenização.

 

Confira o vídeo:

FONTE/CRÉDITOS: The Tenesse Star/ Terça Livre
Comentários:

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )