Aliados Brasil Oficial - Unidos Pelo Brasil!

MENU
Logo
Quarta, 22 de setembro de 2021
Publicidade
Publicidade

Saúde

Agência europeia pede inclusão de riscos cardíacos em vacinas genéticas

A agência exigiu a inclusão de doenças cardíacas graves à lista de reações adversas ocasionadas pelas vacinas genéticas, como a Pfizer e da Moderna

989
Publicidade
Publicidade
Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

A Agência Europeia de Medicamento (EMA), na última sexta-feira (9), exigiu a inclusão de doenças cardíacas graves à lista de reações adversas ocasionadas pelas vacinas genéticas, como a Pfizer e da Moderna. Além da EMA, a agência norte-americana Food and Drug Administration (FDA) já havia emitido o mesmo alerta.

Conforme noticiou o Brasil Sem Medo (BSB), o órgão regulador de saúde europeu também sugeriu que pessoas com histórico de doenças cardíacas evitem receber todos os imunizantes que utilizam a tecnologia genética experimental do RNA mensageiro.

Segundo a reguladora europeia, os efeitos colaterais ocasionados pelas vacinas mRNA geralmente ocorrem no prazo de 14 dias após dada a injeção. Os efeitos ocorrem sobretudo após a segunda dose e em homens mais novos.

Em entrevista recente ao The Epoch Times, o cientista americano Robert Malone, desenvolvedor da tecnologia mRNA ou RNA mensageiro para vacinas, chegou a alertar que a humanidade poderá se arrepender da vacinação em massa que está sendo promovida contra a Covid-19.

“Acredito que vamos nos arrepender. Portanto, estou tentando, com a responsabilidade ética, a credibilidade que tenho em meu currículo, e por causa de meu papel na invenção desta tecnologia, alertar as pessoas: estamos empurrando, cruzando algumas linhas-chave aqui que realmente deveríamos respeitar”, conclui Robert Malone.

Fonte/Créditos: Terça Livre

Créditos (Imagem de capa): reprodução

Comentários: