Aliados Brasil Oficial - Unidos Pelo Brasil!

Autoridades sul-africanas confirmam morte causada por conta da 'picadinha de abelha' contra covid

COVID-19

Autoridades sul-africanas confirmam morte causada por conta da 'picadinha de abelha' contra covid

É o primeiro caso registrado no país em decorrência do uso de imunizantes

IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

Um paciente que recebeu a vacina Johnson & Johnson Covid-19 morreu após desenvolver a síndrome de Guillain-Barré (GBS) e uma internação prolongada. Para proteger a confidencialidade do paciente, e por ser uma doença tão rara, a professora Hannelie Meyer, do Comitê Nacional de Segurança da Imunização, disse que nenhum detalhe do paciente, nem mesmo a província onde ocorreu a morte, será divulgado.

A agência reguladora de produtos de saúde da África do Sul (Sahpra, na sigla em inglês) confirmou nesta quinta-feira (4). 

Ela confirmou que eles associaram positivamente a causa da morte à vacina. “É um evento muito raro”, disse ela. “A pessoa apresentou os sintomas logo após a vacinação e isso levou a hospitalização prolongada, ventilação mecânica e outras infecções”.

“A Sahpra foi informada de um caso fatal de síndrome de Guillain-Barré (GBS, na sigla em inglês) após a vacinação com a vacina covid-19 Janssen”, anunciou a agência. No comunicado, o órgão informa que o caso foi analisado pelo comitê nacional de especialista em imunização (Nisec, na sigla em inglês), usando a metodologia da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Segundo a nota, “o caso foi classificado como um evento relacionado com o produto vacinal, em que a imunização com a vacina da covid-19 Janssen foi associada à ocorrência da síndrome de Guillain-Barré no receptor da vacina” e que “nenhuma outra causa provável da síndrome foi identificada” no paciente.

De acordo com a agência, a síndrome Guillain-Barré, que afeta o sistema imunológico, é um evento adverso muito raro, mas grave, que está associado com a administração de várias vacinas e de outros medicamentos e também pode ser desencadeado por infecções como o Sars-CoV-2”. A doença pode evoluir bem, mas, em alguns casos pode causar paralisia e outros problemas graves, como dificuldade respiratória, alteração da pressão arterial e da frequência cardíaca.

No comunicado, a Sahpra lembra que aprovou o uso da vacina Janssen em março de 2021 para pessoas com 18 anos ou mais, com uma dose única de vacinação. Em dezembro de 2021, foi aprovada como dose de reforço até mesmo para os imunizados com vacinas de outros laboratórios. Até agora, foram aplicadas na África do Sul 9,1 milhões de doses da Janssen, segundo a agência.

Em 13 de julho de 2021, a American Food and Drug Administration revisou suas fichas técnicas para a vacina Johnson & Johnson para incluir informações relativas a um risco observado de GBS após a vacinação.

Na época, havia cerca de 100 relatórios preliminares de GBS nos EUA relacionados a 12,5 milhões de doses da vacina Johnson & Johnson. Destes, 95 eram graves e necessitaram de internação hospitalar. Houve uma morte relatada.

“As autoridades regulatórias já investigaram relatos de GBS associados a vacinas covid-19. Em julho de 2021, a Agência Europeia de Medicamentos (EMA) realizou uma revisão de 108 casos suspeitos de GBS relatados em todo o mundo depois de 21 milhões de pessoas terem recebido a vacina covid-19 Janssen. Concluíram que existe um possível aumento de risco e relação causal entre a ocorrência de GBS e a vacina covid-19 Janssen”, conclui a nota.

No Japão, a família de uma mulher de 91 anos que morreu após tomar vacina contra a covid – de marca não informada pelo governo – foi indenizada recentemente.

Eles avaliaram as mortes de 160 pessoas até agora por possivelmente terem sido causadas pela vacina Covid-19 e esta foi a primeira que não foi coincidência. Ela disse que a investigação ainda está em andamento em vários outros casos.

Nicholas Crisp, vice-diretor-geral do Departamento de Saúde, disse que um fundo de compensação para pessoas prejudicadas pela vacina Covid-19.

Meyer disse que recebeu vários relatórios de anafilaxia, uma reação alérgica potencialmente fatal.

FONTE/CRÉDITOS: Revista Oeste/ Aliados Brasil Oficial
Comentários:

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )