Aliados Brasil Oficial - Unidos Pelo Brasil!

MENU
Logo
Domingo, 19 de setembro de 2021
Publicidade
Publicidade

Política

‘A esquerda aparelhou o Estado brasileiro’, afirma Ricardo Salles

Ministro do Meio Ambiente foi entrevistado pelo programa ‘Os Pingos Nos Is’ e falou sobre manifestações contra ele e Cúpula do Clima

399
Publicidade
Publicidade
Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles concedeu entrevista ao programa Os Pingos nos Is, da rádio Jovem Pan, exibido nesta quarta-feira, 21. Indagado sobre possível aparelhamento petista de órgãos vinculados ao governo federal, Salles não hesitou: “A esquerda aparelhou o Estado brasileiro”, afirmou. “Levará cem anos para desaparelhar as instituições”, acrescentou o ministro.

Questionado acerca de pressões políticas que intentam afastá-lo do Ministério do Meio Ambiente, Salles não titubeou: “Alguns [agentes] fazem isso para aparecer, porque querem virar manchete; outros agem dessa maneira porque estão mal informados”, afirmou. Segundo o ministro, viúvas das verbas públicas não devem ser levadas em consideração. “Esse pessoal precisa lembrar que o governo ganhou as eleições”, provocou.

O ministro falou sobre a expectativa do Brasil para a Cúpula do Clima, que será iniciada nesta quinta, 22. Segundo ele, as relações entre o país e os Estados Unidos, organizador do evento, contradizem todas as previsões negativas que ativistas e a imprensa tinham após a eleição de Joe Biden. 

“Depois desse patrulhamento, desse ataque, nós fomos conversando muito com o secretário John Kerry, já estamos há muitas semanas, há meses, conversando semanalmente com a equipe do secretário Kerry, com ele próprio inclusive, e começou a se desenhar um entendimento. Os Estados Unidos pediram ao Brasil que se apresentasse uma proposta de ação em curto prazo para controle do desmatamento ilegal, nós apresentamos uma proposta muito bem desenhada”, disse Salles. 

Segundo ele, ao perceberem um diálogo concreto entre os dois países, as pessoas que “são do contra e querem fazer discussão política ao invés de resolver a questão ambiental” começaram a incentivar Biden contra a presidência.

O ministro lembrou que o desmatamento no Brasil corresponde a cerca de 1,5% das emissões globais de gás carbônico do mundo e disse que os combustíveis fósseis queimados pelos países ricos representam o maior risco ambiental ao planeta. Ele considerou como “garantia constitucional” os posicionamentos públicos contra ele, mas lembrou que quem aciona o judiciário contra agentes públicos precisa se responsabilizar pelo que é colocado nos autos. 

“O que nós temos visto é uma gama grande de situações: alguns que fazem para aparecer, querem manchete no jornal do dia seguinte; outros que fazem porque estão mal informados e alguns que fazem porque de fato não concordam com a política do governo. Agora, o pessoal precisa lembrar a todo momento que o governo ganhou as eleições e segue mantendo todos os parâmetros democráticos e das instituições brasileiras”, recordou. 

Fonte/Créditos: Jovem Pan

Créditos (Imagem de capa): Marcelo Camargo/Agência Brasil

Comentários: